Your address will show here +12 34 56 78
Sem categoria

A avaliação de imóveis é uma das etapas iniciais muito importante para o processo de venda ou locação de imóveis. É neste momento que os valores a serem cobrados são definidos, seguindo todas as normas e critérios necessários previamente estabelecidos. Nesta publicação será abordado todas os passos de uma avaliação de imóvel, bem como a importância desta fase para a negociações de um contrato.

Conceitos básicos

Tecnicamente falando, o valor de uma propriedade é definido pelos benefícios atuais e futuros vindos da obtenção da propriedade. Diferentemente de muitos bens de consumo que são rapidamente usados, os benefícios de um imóvel geralmente são recebidos ao longo do tempo. Portanto, uma estimativa do valor de uma propriedade deve levar em consideração as vantagens econômicas e sociais, assim como regulamentações governamentais ou condições ambientais que podem influenciar os quatro elementos do valor:

  • Demanda: o desejo ou necessidade de possuir, suportada por bens financeiros que suportem satisfazer o desejo de compre.
  • Utilidade: a habilidade de satisfazer os desejos e necessidades dos futuros donos.
  • Escassez: a oferta finita de propriedades concorridas
  • Transferência: a facilidade com que os direitos da propriedade são transferidos para os novos donos.

Valor, custo e preço. Qual a diferença?

O valor não é necessariamente igual ao custo ou preço. O custo se refere às atuais despesas, como por exemplos materiais ou mão de obra. Por outro lado, o preço é a quantidade que alguém paga por alguma coisa. Enquanto custo e preço podem afetar no valor, eles não determinam o valor. A escala de preço de uma casa pode ser de R$ 1.000.000,00, mas o valor pode ser significativamente maior ou menor. Por exemplo, se o dono encontrar uma grande falha na casa, como um problema na fundação, o valor da casa pode ser menor que o preço.

Preço de mercado

Uma avaliação é uma opinião ou estimativa a respeito do valor de uma determinada propriedade em uma data específica. Os relatórios de avaliação são usados ​​por empresas, agências governamentais, indivíduos, investidores e companhias hipotecárias ao tomar decisões sobre transações imobiliárias. O objetivo de uma avaliação é determinar o valor de mercado de uma propriedade – o preço mais provável que a propriedade trará em um mercado competitivo e aberto.

Métodos de avaliação

Método 1: Comparação de vendas

A abordagem de comparação de vendas é comumente usada na avaliação de casas e terrenos para uma família. Às vezes chamada de abordagem de dados de mercado, é uma estimativa de valor derivada da comparação de uma propriedade com propriedades recentemente vendidas com características semelhantes. Essas propriedades semelhantes são chamadas de comparáveis ​​e, para fornecer uma comparação válida, cada uma deve:

  • Seja o mais semelhante possível à propriedade em questão
  • Foram vendidos no ano passado em um mercado aberto e competitivo
  • Foram vendidos em condições normais de mercado

Método 2: Abordagem com base no custo

A abordagem de custo pode ser usada para estimar o valor das propriedades que foram melhoradas por um ou mais edifícios. Este método envolve estimativas separadas de valor para o (s) edifício (s) e o terreno, levando em consideração a depreciação. As estimativas são somadas para calcular o valor de toda a propriedade melhorada.

Método 3: Abordagem de capitalização de receita

Muitas vezes chamado simplesmente de abordagem de renda, esse método é baseado na relação entre a taxa de retorno que um investidor requer e a receita líquida que uma propriedade produz. É usado para estimar o valor de propriedades geradoras de renda, como complexos de apartamentos, prédios de escritórios e shopping centers. As avaliações usando a abordagem de capitalização de receita podem ser bastante diretas quando se espera que a propriedade em questão gere receita futura e quando suas despesas são previsíveis e estáveis.

Por fim podemos concluir que Avaliações de propriedades bem-feitas são muito importantes para corretores, investidores, seguradoras, compradores e vendedores da propriedade. Enquanto a avaliação for feita por profissionais qualificados, todos envolvidos nos tramites podem se beneficiar com o ganho de informações básicas da avaliação de imóveis.

0

Sem categoria

Ao longo de uma negociação, muitos documentos importantes são gerados, impressos, arquivados e, consequentemente, se acumulam em verdadeiras pilhas de papel, informações importantes ficam perdidas em amontoados de pastas e os processos de autenticação são demorados. Entretanto, com o advento da tecnologia, a impressão desses documentos se torna desnecessária, e um dos expoentes tecnológicos que permite essa transição do físico para o digital é a assinatura digital.

Em contexto de pandemia, esse método de validação de documentos ajuda a manter a segurança de ambas as partes, uma vez que não exige o deslocamento da pessoa para assinar o papel.

O que é assinatura digital?

A assinatura digital é equivalente à assinatura física feita de próprio punho, válida nos meios digitais. Por se tratar de uma tecnologia criptografada, o documento eletrônico dispões da mesma autenticidade de um documento físico assinado a mão.

A priori, torna-se necessário diferenciar a assinatura digital da eletrônica. A assinatura eletrônica e assinatura digital são termos muito parecidos, mas se referem a coisas diferentes. A eletrônica não tem valor legal nem a autenticidade da digital, uma vez que não possuí criptografia, sendo assim, não dota da mesma segurança.

Legitimidade e legislações

Em primeiro plano, estabeleceu-se a Medida Provisória nº 2.200-2001, onde “Fica instituída a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil, para garantir a autenticidade, a integridade e a validade jurídica de documentos em forma eletrônica, das aplicações de suporte e das aplicações habilitadas que utilizem certificados digitais, bem como a realização de transações eletrônicas seguras.”

Outra lei de bastante relevância dentro do contexto, é a Lei nº 11.419/2006, que no seu artigo 1o define “O uso de meio eletrônico na tramitação de processos judiciais, comunicação de atos e transmissão de peças processuais será admitido nos termos desta Lei”.

Segurança

A assinatura digital necessita do certificado ICP-Brasil, assim tornando desnecessária o reconhecimento no cartório. O ICP-Brasil (A Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira) é um sistema nacional brasileiro de certificação digital que garante a legitimação da identidade virtual do cidadão. 

Além das garantias virtuais, o método de assinatura digital torna-se mais seguro que o tradicional uma vez que o trânsito do documento físico, deixa-o suscetível a fraudes, furtos e rasuras.

Benefícios da assinatura digital para as imobiliárias

Em um processo de assinatura manual, as etapas até a validação do documento levam um bom tempo, uma vez que é necessário agendar a ida do cliente até a imobiliária, levando em consideração a disponibilidade de ambas as partes. Uma vez assinado o acordo, é preciso enviar para um terceiro, seja o banco, um fiador ou testemunha. Até a devolutiva, dias se passam, e mesmo após todas essas etapas, é necessário autenticar a assinatura em cartório.

Com o uso da assinatura digital, torna-se possível enviar o documento eletrônico a qualquer momento e de qualquer lugar, em questão de segundos o cliente e terceiros recebem o documento, podendo fazer a assinatura digitalmente. Trazendo grandes benefícios à sua imobiliária. Dentre as vantagens, podemos citar:

  • Maior velocidade e agilidade;
  • Diminuição do uso de papel, beneficiando o meio ambiente;
  • Menos custos;      
  • Facilidade ao cliente;
  • Facilidade de gestão contratual.

Conclusões e resultados

Tendo ciência das informações apresentadas, conclui-se que o método de assinatura digital facilita a vida dos corretores, fornecendo uma nova forma de autenticação de documentos eletrônicos, garantido segurança e praticidade. Métodos físicos, em poucos anos serão completamente substituídos por alternativas que se utilizam da tecnologia como solução de problemas.

0

Sem categoria

Desde a capitação do lead até o fechamento do contrato, o tempo e esforço exigido são bem conhecidos pelos(as) corretores(as). Entretanto, existem situações em que mesmo após este longo processo, é necessário executar uma rescisão de contrato antes do término da vigência. Nestes casos, é imprescindível ter ciência de todos os tópicos que envolvem a rescisão de um contrato de aluguel.  

Lei do inquilinato

Antes prosseguirmos com certas explicações, torna-se fundamental conhecer a Lei do Inquilinato. A Lei Federal nº 8.245, de 1991 rege todas as normas e regras que envolvem a locação de imóveis urbanos no Brasil, e tem como objetivo regulamentar todas as ações dentro de um contexto fechamento de contrato, garantindo os direitos e particularidades de ambas as partes. 

Em quais situações é preciso rescindir o contrato?

Quando falamos de rescisão de contrato de locação, existem duas situações primárias que definem como será feito os procedimentos, que é quando a solicitação vem por parte do inquilino ou por parte do locador.

Quando a rescisão do contrato vem por parte do inquilino, não necessita de justificativa e pode acontecer a qualquer momento, entretanto é geralmente agregada de multa. Existem casos em que a multa não é aplicada, e isso acontece quando o inquilino é obrigado a se mudar por conta do trabalho ou se a construção apresenta problemas estruturais anteriores ao fechamento do contrato.

O outro caso é quando o locador solicita a rescisão. Esta solicitação pode ser feita mediante as seguintes situações:

  • quando há sinais claros de depredação da propriedade;
  • se foram feitas reformas sem autorização previa do proprietário;
  • em casos de retomada da propriedade, para ocupação, por parte do dono ou familiares próximos que não tenham moradia;
  • se foram comprovadas práticas ilegais dentro da propriedade;
  •  e em situações onde não é feito o pagamento do aluguel.

As informações citadas a cima valem para contratos com duração menor ou igual a 30 meses. Quando o contrato tem período superior ao citado, considera-se que ele tem validade indeterminada. Sendo assim, não é aplicado multa, tanto por parte do inquilino quanto por parte do locatário.

Multas e cálculos:

                O cálculo da multa por quebra de contato é feito proporcionalmente ao tempo restante e não cumprido previsto no contrato. O valor de multa definido previamente deve ser dividido pelo tempo da vigência do contrato e depois                 multiplicado pelo número de meses não cumpridos. Para melhor entendimento segue o exemplo.

Supõe-se que o inquilino firmou um contrato com o proprietário por um prazo de 20 meses e com multa de R$ 3000,00. Por conta de certo motivo (que não se encaixa nas situações livre de pagamento de multa citadas anteriormente) o inquilino decide rescindir o contrato após 10 meses, faltando mais 10 meses para o final da vigência.

   Neste caso, aplica-se a multa da seguinte forma:

  1. Dividir o valor da multa pelo prazo do contrato: R$ 3000 / 20 meses = R$ 150,00.
  2. Pegar o valor obtido e multiplicar pelo numero de meses em que o contrato não foi cumprido: R$ 150,00 * 10 meses = R$ 1500,00
  3. Feito esse procedimento o valor foi calculado proporcionalmente, seguindo todas as normas estabelecidas por lei.

Portanto, pode-se concluir que:

Os procedimentos que envolvem a rescisão de contrato envolvem muitos detalhes e particularidades que mudam completamente o curso das negociações. Assim, tornando fundamental conhecer esses pormenores, a fim de evitar problemas e garantir os direitos e deveres de ambas as partes.

0

Sem categoria

Com o avanço tecnológico e a importância que a internet ganhou ao longo dos anos, qualquer pessoa que queira abrir um negócio precisa ter um bom planejamento de marketing digital. No setor imobiliário não é diferente, os corretores que conhecem as técnicas de divulgação online sem dúvidas irão obter mais sucesso que aqueles não as possuem. Tendo em vista essa situação, neste artigo abordaremos a importância do marketing digital e dicas que podem auxiliar na divulgação de seus imóveis.

Qual a diferença entre marketing e marketing digital?

A diferença entre ambas categorias de divulgação está principalmente no meio em que os produtos serão introduzidos aos consumidores. O marketing tradicional engloba todas as formas de divulgação off-line, como por exemplo: TV, rádio, jornais, revistas, telemarketing, entre outros. Já o marketing digital envolve todos os meios online, dentre eles é possível citar as redes sociais, blogs, vídeos em plataformas multimídias, e por aí vai.

Funcionalidades do marketing digital

Dentro do mundo virtual, as fontes de dados e as formas de os obter são muito diversificadas, podendo chegar a ser confusas. Além de atrair novos clientes e ampliar a popularidade de seu negócio, o marketing digital propõem formas de analisar os feedbacks das suas estratégias de publicação e, consequentemente, ajuda-lo à: 

  • Definir seu público alvo;
  • Gerar mais leads;
  • Ressaltar os diferenciais da empresa;
  • Ampliar o alcance dos imóveis;
  • Aumentar as visitas ao site.

Dicas de marketing digital

Tendo como base as informações citadas, fica evidente a importância do marketing digital para uma imobiliária. Com essa informação em mente, a seguir será apresentado uma série e dicas que podem levas suas formas de anunciar online para o próximo nível.

  • Análise de persona: Este tipo de estudo busca definir o cliente ideal para seu negócio, usando como base de informação as necessidades, dificuldades, objetivos e rotinas dessas pessoas. Uma vez estabelecida essa persona, as publicações devem estar voltadas a demonstrar para esse grupo de indivíduos, apenas informações pertinentes. E usando os meios e formas certas para se comunicar com eles;
  • Estudo de palavras-chave: Uma das principais formas de facilitar que o seu imóvel seja encontrado pelo cliente é trabalhar bem as palavras-chave. Este é o método que navegadores como o Google, Bing ou Yahoo usam para localizar publicações e demonstrar o resultado da pesquisa para os  
  • Uso redes sociais: Ao longo do tempo as redes sociais se tornaram o maior meio de comunicação do mundo, desta forma, tem-se como importantíssimo o uso destes meios como forma de marketing.
  • Blog: O blog se torna uma forma de marketing uma vez que a publicação regular de conteúdo de interesse do seu público alvo, acaba por atrair mais leads. Além disso, cria-se um meio de comunicação entre a imobiliária e os clientes em geral, onde informações vitais podem estar disponíveis a qualquer um.
  • Integrações com portais: Portais de divulgações de imóveis se tornam uma ótima ferramenta marketing. O grande fluxo de visitas à essas plataformas podem aumentar a sua visibilidade dentro da internet, uma vez que portais imobiliários estão bem indexados nas buscas do Google.

Por fim podemos concluir que:

As estratégias de marketing digital são de fundamental importância na evolução de uma imobiliária, tornando-se indispensáveis no planejamento de vendas de imóveis. As mais variadas formas de publicação online representam uma solução para aqueles que desejam alavancar as vendas por meio do uso do marketing.

0

Sem categoria

As tecnologias ditam as mudanças no mercado, inclusive no setor imobiliário. Dentro deste contexto, a tecnologia de realidade virtual ou realidade aumentada se demonstrou um grande diferencial na hora da divulgação de imóveis. Essa funcionalidade de imersão 3D tem a capacidade colocar o cliente dentro do imóvel, tornando a publicação muito mais atrativa. Neste artigo abordaremos as vantagens e como usar essa tecnologia para aumentar suas vendas.

O que é Realidade Virtual?

Realidade virtual é o termo usado para designar a tecnologia que tem o objetivo de, através de gráficos 3D ou imagens 360o, criar a impressão de presença em um ambiente virtual. A técnica foi aplicada pela primeira vez para fins militares, a Força Aérea Americana usou um programa capaz de simular um voo. O sistema era capaz de usar radares virtuais, inserir dados de voo e projetar mapas 3D. Posteriormente, com a ascensão dos vídeos games, houve as primeiras tentativas de aplicar a invenção no entretenimento.

 Atualmente essa tecnologia é muito aplicada em diversos setores e com variadas funções, como por exemplo: planejamento de produtos, simulação da produção, auxílio na divulgação de produtos e imóveis, treinamento de funcionários, validação de protótipos.                  

Aplicação no mercado imobiliário

O uso desta tecnologia propõe uma nova forma para o cliente encontrar o imóvel perfeito, uma vez que permite a imersão da pessoa dentro de um ambiente virtual baseado no imóvel. Levando em isso consideração podemos chegar em uma lista de vantagens que o uso de tecnologia 3D oferece ao seu negócio.

Dentre elas é possível citar:

  • Poupa tempo: Uma das principais vantagens dessa tecnologia é o fato de poupar tempo, tanto para a imobiliária, quanto para o cliente. Por meio do uso da realidade virtual, não é mais necessário ir de casa em casa e ficar preso no tráfico. Isso significa que todas as propriedades estão disponíveis para visitação 24 horas por dia, e sem exigir que o cliente saia de casa.
  • Cria ligações fortes entre o cliente e o imóvel: Tours virtuais ajuda seus clientes a terem uma boa visão de uma propriedade. Diferentemente de visitas tradicionais, onde todos estão com pressa, essa nova possibilidade permite que os visitantes tomem o tempo que precisarem para analisar propriedade e focar nos detalhes. Consequentemente, é formando conexões emocionais atreladas ao imóvel em questão.
  • Oferecer atendimento a mais clientes: Corretores sabem bem quanto tempo o atendimento de um único cliente leva. O processo de agendar visitas, mostrar os detalhes das propriedades e negociar termos e preços são tarefas que consomem muito do dia a dia do corretor. A realidade virtual pode mudar essa situação, permitindo que mais clientes sejam atendidos, assim aumentado a produtividade da imobiliária.

Levando em consideração o que foi dito:

Pode-se definir a tecnologia de Realidade Virtual e Tour 3D, o futuro do mercado imobiliário, uma vez que muda completamente a forma de apresentar imóveis ao possíveis compradores ou inquilinos. O fato de ser possível visitar um lugar sem precisar sair de casa, poupa tempo e dinheiro para as imobiliárias, tonando-se fundamental na divulgação de um imóvel.

0

Sem categoria

A pandemia gerada pelo coronavírus atingiu os mais variados setores da economia, incluindo o mercado imobiliário. Dentro do contexto do “Novo Normal”, o home office se tornou uma realidade, e junto com qualquer mudança vem a necessidade de se adaptar e evoluir em meio à adversidade. Neste artigo abordaremos dicas de como se adaptar ao home office imobiliário.

Vantagens e desvantagens do home office

O ambiente domiciliar apresenta muitos fatores que influenciam tanto positivamente quanto negativamente na produtividade na hora de trabalhar. Levando em consideração a influência destes agentes é possível chegar em uma lista de vantagens e desvantagens que essa metodologia de trabalho traz para a empresa.

Dentre os fatores positivos podemos citar:

  • Segurança: Em um momento de pandemia, o home office se tornou necessário para evitarmos a ploriferação do Coronavírus.  A maior pandemia dos últimos 100 anos incapacitou o funcionamento das atividades presenciais da grande maioria dos trabalhadores.
  • Flexibilidade de horários: Dentro do regime de home office, os horários de expediente podem ser facilmente moldados às necessidades da imobiliária e do corretor.
  • Flexibilidade de local de trabalho: Ao se utilizar de tecnologias que auxiliam no cotidiano das atividades remotas, qualquer lugar com internet se torna um local possível de se trabalhar.
  • Possibilidade de aumentar produtividade: Apesar de possíveis distrações, o home office pode ser motivo de incremento da produtividade. A privacidade e silencio do ambiente domésticos pode dinamizar e melhorar o aproveitamento das horas de trabalho.

Quando aos fatores negativos, é válido citar:

  • Comunicação: Apesar de contarmos com inúmeras ferramentas que facilitem a comunicação à longas distâncias, muitas vezes a falta da conversa “cara a cara” pode resultar em problemas de interpretações.
  • Interferência da vida pessoal na vida profissional: Ao mesclar o ambiente doméstico com o ambiente profissional, os diferentes segmentos da sua vida podem dificultar o sucesso de ambas partes.
  • Tendências ao isolamento: Estudos comprovam que interação humana se faz muito importante na saúde mental de uma pessoa. Durante o Home office o isolamento social pode ser nocivo.

Dicas para melhoras seu Home Office

Encarando a possibilidade das atividades remotas, se torna necessário aprender como se adaptar ao novo cenário. Portando, abordaremos algumas dicas de como melhorar sua experiencia trabalhando em casa.

  • Area de trabalho definida: Defina uma área de sua casa para ser seu escritório. Pode ser um quarto vazio ou um outro cômodo e transformá-lo em um “home office”. Manter as coisas relacionadas ao trabalho em um espaço só pode ajudar muito em organização.
  • Internet de qualidade: Roteador e internet são fundamentais uma vez que trabalhar de casa requer o uso de ferramentas online, uma internet de qualidade vai evitar muitos problemas de comunicação e de produtividade.
  • Defina horas de trabalho: A beleza de trabalhar em casa é que você pode ser flexível na definição de seus horários de trabalho. Por exemplo, se você é mais produtivo pela manhã, ou se precisa levar as crianças à escola, convém definir seu horário de trabalho das 7h00 às 15h0. Entretanto é necessário colocar um limite nas horas de trabalho, para manter sua saúde mental.
  • Contato regular com colegas de trabalho: Reserve um tempo para se reunir com sua equipe de regularmente. As reuniões devem ter uma agenda envolvendo ativamente todos os membros, para que contribuam. Dedique um tempo para se reunir em particular com cada membro para que eles possam compartilhar atualizações de status, receber treinamento e discutir desenvolvimentos
  • Conte com a ferramenta certa: Sistemas de gestão imobiliária como o fornecido pela Apresenta.me facilita e aumenta a produtividade de qualquer imobiliária, inclusive no contexto de home office, integrando em um único sistema seu atendimento ao cliente, gerenciamento financeiro e a customização de site.

Por fim, podemos concluir que:

Em detrimento dos fatos apresentados, pode-se extrair que o home office é uma alternativa viável aos corretores, e que pode sim trazer benefícios ao seu empreendimento. Além de ser a opção mais segura em termos de exposição ao vírus, também pode aumentar a produtividade. Muitas empresas já adotaram o este método de trabalho e estão apresentando grandes resultados.

0

Sem categoria

O que é aluguel garantido?

O aluguel garantido é a compromisso que a imobiliária faz ao proprietário de assegurar que o aluguel será pago em dia, mesmo com o locatário em inadimplência. Ou seja, a própria imobiliária ficará responsável de efetuar o pagamento. É um grande diferencial para seu negócio, mas é preciso ser extremamente minucioso na hora de ofertar opção aos seus clientes.

Benefícios do aluguel garantido:             

Ao analisar a ideia geral do o que é o aluguel garantido, não é estranho considerar que se trata de uma negociação arriscada para imobiliária, então vem a pergunta: Quais são os benefícios de ofertar essa vantagem aos meus clientes?

Dentre as vantagens é podemos citar:

  • Diferencial: Por trazer uma grande segurança ao proprietário, o aluguel garantido se torna um diferencial para seu negócio. Se trata de uma opção que a maioria dos concorrentes não garantem.
  • Maiores comissões: Como a imobiliária se dispõem a arcar com os ricos de inadimplência, é possível demandar maiores comissões nos contratos.
  • Multas e Juros: Quem fica com 100% das multas e juros é a imobiliária, uma vez que ela está assumindo o risco e antecipando o valor ao proprietário.

Cuidados que devem ser tomados:

                Por se tratar de uma negociação delicada existem algumas precações que devem ser tomadas ao oferecer essa opção ao cliente.

Torna-se imprescindível:

  • Ter um processo de escolha de inquilino exigente: Uma das principais formas de evitar problemas é escolher bem o inquilino. É fundamental averiguar a veracidade das informações passadas, assim como fazer um estudo aprofundado de dados como comprovante de renda, analise de crédito, entre outros;
  • Contar com um grande capital de giro: Para assumir riscos como esse, deve-se contar com reservas econômicas que garantam o cumprimento do contrato com o proprietário. Em situações de múltiplas inadimplências, a falta de capital de giro pode levar a imobiliária à falência;
  • Esclarecer tudo ao cliente: Ter certeza que o cliente entendeu todos os itens do contrato se faz muito importante para evitar problemas futuros. É preciso esclarecer e ressaltar pontos como: por quanto tempo a imobiliária pagará os atrasos do inquilino e quais medidas serão tomadas, caso o locatário ultrapasse o limite do tempo coberto.

Como manter controle das inadimplências?

                É de fundamental importância deter métodos que garantam o que inquilino pagará as mensalidades em dia, principalmente trabalhando com aluguel garantido. Com base nessa informação, segue abaixo algumas dicas de como garantir que o locatário pague as mensalidades dentro do prazo:

  • Demandar caução: A caução exige um adiantamento de um valor equivalente aos três (3) primeiros meses de aluguel por parte do locatário. Em caso se inadimplência a imobiliária pode resgatar esse dinheiro;
  • Manter comunicação com o locatário: Faz-se necessário manter uma linha aberta de comunicação com o inquilino. Assim ambas as partes podem chegar em um consenso quanto a datas e formas de pagamentos que facilitem o processo;
  • Notificações por escrito:  Se outras formas de contatar o locatário não obterem sucesso, notificações por escrito são a melhor forma de ter registro da situação e comprovar os fatos em casos onde for acionada uma ação judicial;
  • Ofereça incentivos para pagamento em dia: Se for oferecido benefícios para os pagamentos em dia, o inquilino será encorajado a não atrasar a mensalidade. Por exemplo: se o inquilino pagar o aluguel em dia por um numero determinado de meses em sequência, haverá desconto na próxima mensalidade. 

Por fim podemos concluir que

                Tendo em vista todos os fatos apresentados, é possível concluir que o aluguel garantido não é para qualquer um, se trata de uma situação de risco, mas que oferece maiores ganhos. Cabe ao corretor gerenciar corretamente os valores a fim de evitar maiores complicações no futuro. 

0

Sem categoria

A imobiliária cresceu? Aumentaram seus negócios?

À medida que uma imobiliária cresce, o número de contratos, pessoas, números e documentos que os corretores acumulam é muito grande. A variedade de procedimentos necessários para manter o negócio funcionando se torna um enorme  obstáculo para aqueles que não mantém a casa em ordem. 

Dentre os problemas organizacionais mais enfrentados é possível citar a dificuldade de dinamizar e sincronizar os diferentes setores de um negócio, desde a captação do Lead até o fechamento do contrato. Dentro deste contexto se torna imprescindível contar com as ferramentas certas para tornar tudo um processo orgânico, harmonizando todos os segmentos responsáveis por garantir o sucesso de uma imobiliária. 

Organização como um diferencial! 

De acordo com Fernando de Magalhães Júnior, professor do Curso CPT Prof. Fernando de Magalhães Jr. *“Para ser um corretor de imóveis de sucesso, é preciso ter em mente que é necessária a prestação de um serviço diferenciado e com agregação de valores.”. Sem dúvidas, a prestação de um serviço organizado é um diferencial que pode ter um grande impacto no retorno de sua empresa. Além de demonstrar ao cliente a competência do serviço, você facilita o dia a dia do corretor, estimulando-os a fazer mais coisas em menos tempo. Afinal de contas, tempo é dinheiro.

A segurança de um sistema organizado!

Outro ponto importante, que vale ser mencionado, é a segurança que um sistema organizado te dá na hora de gerenciar uma equipe responsável por realizar vários negócios diariamente. É de suma importância manter certo nível de controle sobre as as ações de um grupo de funcionários, a fim de identificar possíveis erros e evitar problemas futuros.

Dicas organizacionais:

Tendo em vista a notabilidade do tema, segue abaixo algumas dicas organizacionais que podem ser implementar no ambiente de trabalho:

  • Cadastro detalhado de imóvel: Para facilitar na hora de gerar os contratos, é importante que todas as informações de um imóvel estejam bem especificadas. Interações com portais imobiliários também dependem de um cadastro bem feito;
  • Registro das interações com clientes: Na hora de fechar o negócio, muitas informações são vitais, dentre elas o histórico de negociação e conversas com o cliente ganha destaque. Para evitar futuros problemas, mantenha as negociações sempre profissionais. 
  • Emitir boleto com todas as cobranças corretamente listadas: Para evitar possíveis desentendimentos, é preferível que os itens a serem cobrados estejam devidamente especificados;
  • Controle da origem dos Leads: Para identificar quais métodos de publicação e marketing estão gerando maior retorno, é necessário manter o controle das origem dos Leads;
  • Controle dos prazos de um contrato: Assim você terá conhecimento dos melhores intervalos de tempo para mandar notificações, criar novas oportunidades de negócio, entre outros;
  • Conte com a ferramenta certa: A Apresenta.me oferece, dentro de uma única plataforma, toda a aparelhagem necessária para que as imobiliárias consigam manter todas seções do negócio sob controle, tanto gerenciamento financeiro (contratos, faturas, relatórios de resultados) quanto de pessoas (permissões de usuário, cadastro de clientes, captação de leads). 

Considerando os fatos apresentados,

É possível concluir que o dia a dia da imobiliária é carregado de pequenos detalhes. Cabe aos corretores encontrarem os melhores métodos e práticas para administrar o negócio, assim mantendo a ordem e evitando futuros problemas. 

*Fernando de Magalhães Júnior, DIPONÍVEL EM: https://www.cpt.com.br/cursos-pequenasempresas-comomontar/como-montar-e-administrar-uma-imobiliaria

0

Sem categoria

Sabemos que toda a economia Brasileira foi afetada pela pandemia, com o Coronavírus (COVID-19) todos foram afetados de diversas maneiras, seja direta e/ou indiretamente, posso me arriscar aqui dizendo que o mundo vem sendo afetado.

E como se destacar nesse período? Como se manter no mercado imobiliário?

Aqui você terá 3 dicas infalíveis que vão ajudar a sua gestão comercial a enfrentar a Pandemia e se manter no Mercado Imobiliário:

1ª Automatização dos seus processos:

Atualmente são tantos fatores decisivos para o fechamento de uma venda que ela pode se tornar complexa, e por vezes perdemos vendas por falta e ou falha no atendimento. Diante disso é necessário que você Gestor, Proprietário ou gerente faça a gestão da sua imobiliária de forma diferenciada e com muita expertise.

Desse modo, você cria mecanismos de automação de processos, onde você terá uma administração enxuta e muito mais rápida, atendendo as necessidades do mercado, quando hoje não mais encontramos clientes dispostos a aguardar tempo com burocracias que podem ser evitadas.

Por isso, indico a você invista em um sistema de gestão de imobiliárias completo, onde você pode contar com toda a gestão de locação completo vinculado ao financeiro, controle da movimentação de chaves, CRM, Automatização das cobranças (reconhecimento de pagamento, identificação de inadimplência e envio de cobranças de forma automatizada) e Distribuição automática dos Leads.

ACREDITE é possível… Tudo isso você encontra em um único sistema! Qual? APRESENTA.ME.

2ª Utilize toda a Tecnologia a seu favor:

A pandemia serviu para adiantar um futuro que estava desenhado, a era digital! Sendo assim, a tecnologia tem sido a principal ferramenta para o ramo imobiliário.

Com isso, a melhor maneira de se sobressair e evitar desperdício de tempo é automatizar cada etapa do seu funil de vendas e seus processos na imobiliária, para fazer isso é fácil basta utilizar a tecnologia a seu favor.

Afinal, existem várias possibilidades nas áreas da tecnologia que podem e devem auxiliar seu negócio não só em alavancar suas vendas, como gerar novos leads e atendê-los de forma eficaz e transformar sua imobiliária como a melhor do mercado.

Como? Com o auto ranqueamento, com rodízio automático de leads, buscando sempre o sucesso da imobiliária, pois sim a Apresenta.me tem um sistema completo para a gestão da sua imobiliária.

3ª Conte com a ajuda de um sistema especializado em Gestão Imobiliária:

Mais uma ótima dica para você dono de imobiliária que está precisando contar com um parceiro que resolva suas necessidades.

Automatize seus processos, descomplique seus atendimentos e te auxilie na gestão completa de sua imobiliária entre em contato agora com a Apresenta.me, uma empresa perita em soluções tecnológicas para imobiliárias e vendas, que possa auxiliar na estrutura dos processos e estratégias que tornem as suas vendas cada vez mais eficientes.

Você está precisando de uma solução para a gestão da sua imobiliária? Precisando automatizar processos burocráticos? Precisando eliminar aquela montoeira plataformas para atender sua demanda? Fale com a Apresenta.me!

A Apresenta.me sistema de tecnologia e gestão para imobiliárias oferece um Software que tem como principal objetivo facilitar a vida das pessoas no mercado imobiliário e agilizar os processos da gestão para imobiliárias com um sistema completo em uma única plataforma e de quebra você ainda tem um site que é editável, sim eu falei editável, você pode altera-lo e deixar ele com a cara do seu negócio.

Não deixe de entrar em contato conosco, estamos prontos para atendê-lo.

0

Sem categoria

A LEI GERAL DE PROTEÇÃO DE DADOS (LGPD) Lei nº 13.709, fora aprovada há algum tempo, mais especificamente em de 14 de agosto de 2018 e a mesma entrou em vigor em agosto de 2020. A Lei refere-se à regulamentação do tratamento de dados pessoais. Saliento ainda que dados pessoais, no que se refere à Lei LGPD, são as informações fornecidas a uma empresa em determinado momento. O tratamento é definido pela forma como eles são utilizados, em ações específicas de marketing ou em outro tipo de ação.

A Lei ainda é clara quanto a usos por meios digitais, seja por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural. Para saber na íntegra LEI Nº 13.853, DE 8 DE JULHO DE 2019

QUAL O ÓRGÃO QUE REGULA A LGPD?

Segundo a Lei LGPD essa responsabilidade é da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão da administração pública direta federal do Brasil que faz parte da Presidência da República e possui atribuições relacionadas a proteção de dados pessoais e da privacidade.

De acordo com a lei sancionada em 2019, é competência da ANPD:

Atentar para a proteção dos dados pessoas; definir procedimentos à Política Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade; aplicar sanções em casos de irregularidades no tratamento de dados.

E não menos importante e também de sua responsabilidade orientar e tirar dúvidas sobre a aplicação e uso da LGPD. Não servindo apenas como penalizador mais como uma ponte para que seja cumprido o que rege a Lei.

AFINAL QUEM SÃO OS ENVOLVIDOS NESTE PROCESSO DE PROTEÇÃO DE DADOS???

São 4 agentes na participação ativa da proteção de dados:

O titular – Proprietário dos dados, no caso as pessoas físicas e/ou responsáveis quando menor;

O controlador – Este é o tomador dos dados, pessoas jurídicas;

O operador – Pessoa Jurídica que é responsável pela coleta de dados e sua mantedora da segurança através de soluções automatizadas.

O encarregado – É a pessoa física responsável, o mesmo responderá pela proteção dos dados da empresa. É o seu representante legal, que fará contato com a ANPD se houver necessidade, e segundo a Lei o mesmo poderá até ser responsabilizado junto com a pessoa jurídica no caso de mal uso dos dados ou seu vazamento por quaisquer motivos.

O QUE MUDA COM A LEI LGPD???

– Consentimento das partes e quando menor consentimento do Responsável legal;

– Cumprimento de obrigação da legislação;

– Proteção da vida;

– Tutela da saúde;

– Interesses legítimos do controlador/terceiro;

– Proteção ao crédito;

– Responsabilidade com os dados;

COMO SE ADEQUAR ÀS NOVAS EXIGÊNCIAS?

O Primeiro a ser feito é designar uma pessoa responsável em se ater as informações, obrigações e legalidade que a LEI exige e o mesmo deverá verificar o que precisa ser alterado dentro de sua organização para se adequar à Lei.

Neste processo será importante saber para onde vão, onde ficam armazenados, quem tem acesso aos mesmos. Bem como, se fora compartilhado com terceiros – no Brasil ou exterior. Para aí sim, destacar o que está fora da legalidade e adequá-las.

Definidos os pontos a serem adequados, é necessário desenvolver procedimentos para tornar a transação de dados totalmente segura tanto para a empresa quanto para os consumidores. Um bom exemplo disso é o sistema da Apresenta.me, possui um campo que fica disponível para a empresa colocar o seu regimento e o cliente deverá confirmar o aceite deste. Evitando quaisquer problemas legais e financeiros, sabendo que o não cumprimento acarretará em multa.

O que se conclui-se diante de todo esse cenário é que a entrada em vigor da LGPD significa um grande desafio tanto para as empresas, que precisarão rever vários processos para garantir a segurança e privacidade de dados, como para as empresas de tecnologia, que precisam se adequar e fazer com que seja funcional para os seus clientes pessoas jurídicas que neste caso serão os CONTROLADORES consigam agir dentro da Lei.

0